Feminino e masculino

Feminino e masculino

Todos temos os lados feminino e masculino, dois polos de equilíbrio. Um deles pode estar desalinhado e causa um desajuste.

Quando falamos de movimento feminista lembramos da luta da mulher por seus direitos, mas em alguns momentos vemos uma luta contra os homens. Se todos temos os dois lados, por qual motivo tenho raiva do outro? Simples, quando, no caso, a mulher tem algum trauma com o masculino isso cresce dentro dela, pode começar na infância, com o pai ou qualquer figura masculina.

É preciso curar o masculino para que haja esse equilíbrio. Quando se trata desse assunto com raiva é o seu íntimo que tem raiva, e não a luta pelos direitos, pois se temos os dois lados, usamos em alguns momentos o lado oposto. A mulher usa na força, nos momentos de posição da vida, como por exemplo: a mulher que precisa exercer a mãe e o pai ao mesmo tempo, está usando os dois polos.

O mesmo acontece com o homem quando usa o seu lado feminino, normalmente no afeto, na dedicação; e isso não significa que o homem que zela ou se dedica não seja homem. Ao contrário do que é imposto como crença desde que nascemos, não existe cor que distinga o sexo, não existe ausência de sentimento, humano nasce com sentimento independentemente do sexo. Homem não chora? Mulher não trabalha?

O fato é que precisa ser curado tanto o feminino como o masculino, as crenças que nos ensinaram, o certo e o errado, pois a base de tudo ainda é o respeito, não o julgamento.

Em um futuro não tão distante aguardamos para que o humano se torne humano de verdade, exerça a compaixão, o respeito como forma de vida. Torne-se responsável por suas atitudes sem apontar culpados e, acima de tudo, demonstre sua capacidade de amar da maneira mais pura que seja, a si mesmo e ao próximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *