Reflexões

Reflexões

Parando para pensar… quanta coisa aconteceu este ano, não passou tão rápido assim. Se for ver de verdade coloque no papel tudo o que se fez desde a virada do ano até aqui. Quantas vezes foi na academia e quantas falou que ia, mas ficou com preguiça; tá frio, tá muito calor, tô com dor nas costas… Emagreceu e engordou, saiu da dieta, voltou pra dieta. Este ano paro de fumar, vou fazer um curso; não aguento mais meu chefe, vou mudar de emprego, e tá lá, firme e forte aguentando a cara amarrada dele. E olha que são doze meses, não é pouco, são trezentos e sessenta e cinco dias ininterruptos. Dorme, acorda, come, sai, trabalha, namora, briga, discute com colegas, reclama do frio, reclama do calor, reclama do marido, reclama dos filhos, mas tá todo mundo lá, juntinho, se amando. 

E a gente ainda fala que passa rápido, sabe por quê? A rotina faz pensar que não fizemos nada, o ano passou e tudo continua igual. Claro, estamos vivos, portanto necessitamos fazer as mesmas coisas todos os dias. Podemos mudar algumas, como parar de reclamar e agir. “Não aguento mais meu trabalho, meu chefe”. Não é uma tarefa fácil, mas comece a mudar, se não for de emprego, mude seu jeito de ser, de encarar a chatice dele. Já ouviu falar que ninguém muda ninguém? Pois é, não está contente, muda você. Não tá feliz com o casamento, conversa sério, decide sua vida, não adianta ficar no vazio se o que te espera pode ser a chave da sua mudança. Só não dá pra deixar os filhos de lado, esses são nossos, pra sempre. 

Perdeu alguns bons amigos por causa de política? Não eram tão bons assim, senão não teria perdido; bons amigos se entendem e se respeitam. Quando alguém se revela tão diferente do que se conhecia, é porque sempre foi assim, sempre teve a vontade de te mandar às favas, só não sabia como. Quantas indisposições aconteceram, mas quanta coisa boa também. Quantos sonhos se realizaram, outros se realizarão agora. Quantas pessoas se formaram, se casaram, separaram, viajaram, cantaram, choraram, sorriram, morreram e nasceram. É que não temos o costume de marcar tudo no papel para depois analisar o que foi o nosso ano. Que tal começar um diário no dia primeiro de janeiro, anotar tudo, tudo mesmo. Quando chegar o fim do ano leia, irá se surpreender o quanto foi linda a sua vida, apesar dos tropeços. Depois deles sempre vem a felicidade. 

Feliz Ano Novo, em 2019 a gente se encontra.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *