A história das próximas décadas

A história das próximas décadas

Já pararam pra pensar que ficaremos para a história? Estamos vivendo a história que as próximas gerações irão estudar. “A pandemia de 2020” como será contada? Como era a humanidade nessa época, era formada por loucos? Como viveram, como aconteceu. Enfim, terá muito o que contar, mas como será contado? 

Viviam num mundo consumista, visual e contaminado pela ganância e soberba. As pessoas consumiam todas as novidades lançadas no mundo como se fosse o último dia, as crianças aprendiam a falar depois que já soubessem mexer num celular ou qualquer outro aparelho da época. Os adultos já não aceitavam mais apenas Ser, precisavam Ter, mais e mais, tornou-se um vício, nada mais era suficiente, dinheiro, bens materiais, posição, poder. Homens e mulheres passaram a cultuar o corpo, precisavam da perfeição, das curvas e músculos para exibir o grande feito. Já não se via mais nada original nos corpos, tudo era refeito e muito elaborado, e tudo começou a ruir. 

O povo começou a perder a sensatez, o significado de viver. Não vivia, competia, quem era mais, quem tinha mais, quem tinha razão, quem podia. Começaram queimadas nas florestas, desavenças políticas, corridas atrás do poder, do dinheiro. Carros entupiam as ruas e avenidas e só crescia a poluição, os mares estavam poluídos, os peixes morriam com o lixo, as chuvas começaram a destruir cidades, já não havia mais ar para respirar. Doenças apareciam sem parar, alimentos contaminados para que a produção fosse mais rápida, mas também matava. 

Tudo começou a ser um problema mundial, começaram a adoecer o espírito, o emocional não suportava mais tanta competição, nunca estavam no padrão atual, sempre faltava o algo mais. Assim o mercado farmacêutico encontrou a mina de ouro com o número de deprimidos, lunáticos, bipolares. O corpo também adoeceu o espírito, precisavam de fortificantes para os músculos e muitas outras drogas para alcançar a perfeição. O preconceito reinou entre os povos, a violência contra a mulher só crescia, as músicas foram substituídas por palavras obscenas, consequentemente por comportamentos iguais. Os jovens não aprenderam o respeito. Tudo escureceu. 

No fim de 2019 surgiu um vírus na China, que até então não fez muita diferença para o resto do mundo. Mas a Covid-19 alcançou uma velocidade que o mundo não esperava, não ficou apenas na China, foi para todos os continentes. O mundo parou, todas as portas se fecharam; escolas, bares, shows, prédios comerciais, comércio, tudo. De repente tornou-se tudo triste, todos tiveram que parar aonde estavam, não importa se estavam no meio de um projeto, lançamento, qualquer coisa, teve que parar. O mundo se trancou em casa, mas já não havia como se proteger, pois o vírus já tinha pego muita gente. 

Começaram a contar os números de mortos, contaminados; hospitais com lotação, médicos e enfermeiros se arriscavam para cuidar de tanta gente, muitos morreram, outros continuaram sua trajetória, sua missão. Mas o vírus não parou, quem saísse era pego e levava para outras pessoas, e contaminava um, outro e mais outro e não parava. Cientistas corriam para encontrar medicamento e vacinas para a cura; mas num mundo tão doente, embora com tanta evolução, não encontravam. A medicina já não sabia mais o que fazer, muitas vidas se foram e a angústia tomava conta dos profissionais e da população da Terra. 

Mas enquanto tudo parava, a natureza começou a se recuperar, os mares sem o humano começaram a ficar limpos, o céu não tinha mais poluição, o azul era azul de verdade, às vezes rosa, noutras, laranja; todos se emocionavam em ver. Os animais tinham liberdade, voltaram a aparecer e viver. As chuvas se tornaram amenas, mas o povo continuava em casa. 

Muitos entenderam a mensagem de que o mundo tinha que parar para se regenerar, que as famílias não viviam mais unidas, viviam unidas por um celular. O consumo desenfreado não era necessário, a ganância pelo poder e ter não valia de nada, a natureza era bela sem os humanos, e que nós estamos aqui para cumprir uma missão, a Terra não é nossa, somos visitantes, e como todo visitante devemos ter respeito e saber nos comportar. 

Mesmo que você que esteja lendo isso e ainda não ache nada disso, um dia vai achar, o mundo precisa de paz e amor, quem não estiver disposto a viver assim vai ter que aprender. O novo mundo está aí, pronto para viver e, sem os erros do passado, todos terão seu lugar. Lembrando que não somos únicos neste mundo, pois os outros também querem ser felizes. 

Em nota: Será que esse texto nos surpreenderá daqui alguns anos ou será muito atual? Está nas nossas mãos. 
 

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *